Compartilhe!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0

Onde cheguei. Onde vou. Não é assim? A tal “crise dos 30”? O ponto alto – ou seria baixo? – da chegada à era balzaquiana. 

É como se até aqui o relógio estivesse andando para a frente, contabilizando o tempo, sem pressa, enquanto “crescíamos” e aprendíamos a ser gente – um tipo de ser previamente programado para perseguir o sucesso e a felicidade. 30. A partir daqui, o contador virou. Estamos em regressiva. Somos gente. É agora ou nunca! Sucesso e felicidade. Já já vai ser tarde demais. Sucesso e felicidade. O que você quer ter feito quando o tempo acabar? Sucesso e felicidade. Sucesso e felicidade. Anda… Faça sucesso! Seja feliz!

Se fosse simples assim.
Mas sabe o bom de chegar aos 30? É que você descobre que É simples assim. É que a gente percebe que os conceitos de sucesso e felicidade que tinha aos 15, aos 20, são bem diferentes de agora.
Sucesso agora é qualidade e não quantidade. É ser e não fingir ser. É equilibrar razão e emoção. Felicidade é casa com nossa cara. É uma tarde na Etna. É descobrir que o prato do restaurante novo tem o gosto que você imaginava. É abraço depois da saudade. Sucesso é conhecer nossas qualidades e mais ainda as limitações. É a verdade, sem desculpas. É um corpo não tão rápido, mas bem mais preciso. É mais caráter, menos reputação. É pagar todas as contas no fim do mês – e se sobrar algo para guardar ainda, é MUITO sucesso. Felicidade é o friozinho na barriga da IMG_0679decolagem do avião. Carimbar o passaporte. É a dor no pé e o brilho nos olhos depois da última viagem. Riscar mais um país na lista. E já voltar programando a próxima. Sucesso é fazer o que queremos e amamos porque não somos obrigados a nada. Guardar lágrimas para ‘o que’ ou quem realmente importa – e saber ‘o que’ ou quem realmente importa. Felicidade é geladeira cheia depois das compras. Trânsito livre. Descobrir que brócolis até que é bom, mas se permitir uma panela de brigadeiro de vez em quando porque sim! É maratona de séries no Netflix. É “vamo”? “Vamo”! Sucesso é descobrir que o aprender é eterno… e que sempre é tempo! É terminar de ler a pilha de livros da estante. É aceitar que vai a “galera”, ficam os poucos e bons. Felicidade é programa de culinária na tv. É mais dia, menos noite. Sucesso é apreciar e aprender com as estações da vida… e ver que há beleza até no inverno. É encontrar e seguir sua fé. Não sou eu, somos nós. É saber que é melhor dar do que receber, e que fazer o próximo sorrir não tem preço. Felicidade é mão dada no pôr do sol na praia. É ainda caber no colo de mãe mesmo sendo mais alto que ela. É agradecer conselho de pai porque tem um pai pra dar conselho. É apreciar o sono de quem se ama. Sucesso é entender que tudo tem um fim… o que é bom… mas o que é ruim também. E principalmente, é saber que isso pouco importa agora, porque independente do que tentaram nos dizer, a vida para nós está só começando… e acabou de ficar bem MELHOR!
Compartilhe!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on LinkedIn0